Ubuntustudio x86_64 e driver X-Fi

Semana passada, instalei aqui o Ubuntustudio 7.10 64 bits. O objetivo principal era testar o driver Linux beta da minha placa de som X-Fi. Para quem não lembra, essa série espetacular de placas da Creative, chamada X-Fi Series, não possui suporte para Linux, nem ALSA nem nada. Faz alguns meses, eles lançaram um beta para x86_64. E é esse que testei.

Instalei o Ubuntustudio em outra partição e deixei o home compartilhado com a instalação 32 bits. Smooth. A duplinha Firefox-Thunderbird funciona numa boa compartilhando o perfil entre 32 e 64 bits, assim como a maioria dos programas. O problema é que muitos programas não têm build para 64 bits. Exemplo clássico é o Flash Player 9. Minhas VMs 32 bits do VMware também são inúteis no ambiente 64, teria que instalar tudo de novo.

O Ubuntustudio está legal, me parecendo mais redondo do que a última vez que instalei. O Gnome foi um ponto positivo. Sendo um usuário acostumado com KDE, senti-me confortável com a agilidade das janelas Gnome. Click, click, drag, drop. Tudo muito leve.

Os programas de dia-a-dia Gnome ainda não alcançaram os do KDE, se é que o farão. IMHO, Kopete ainda é o melhor IM, e Amarok, o melhor tocador de mp3. O lado bom é que ambos rodam sem problemas no ambiente Gnome. O apt baixa apenas algumas bibliotecas QT (verdade, não precisa baixar o KDE inteiro). Uma pena é o Yakuake, que não se dá muito bem com as janelas Gnome e, apesar de rodar, tem problemas de sobreposição de janelas. A Gnome tem um clone tabajara do Yakuake, chamado Tilda, mas é bem bugado.

Voltando ao objetivo da instalação do driver da X-Fi: uma decepção. O build não declara algumas dependências, então tem-se que ir baixando e instalando bibliotecas sob demanda e à direção do vento. Feito o build, a instalação também ocorre aos trancos. No final, o som sai, mas com uma qualidade sofrível. Ocorrem também problemas de reprodução, atrasos e loops infinitos diabólicos.

Resumindo a experiência da última semana:

  • Gnome: massa. É bom lembrar que tem um ambiente gráfico levinho para quando precisar.
  • x86_64: incompatível, conforme esperado. Mas acho que vale a pena fazer uns benchmarks, pois o sistema me pareceu mais “responsivo” de maneira geral.
  • Driver X-Fi Beta: decepção. A placa foi lançada há mais de dois anos e ainda não é possível usá-la de forma aceitável no Linux. Provavelmente, essa situação deriva de alguma estratégia interna da Creative. Talvez um acordo com a Microsoft, ou talvez apenas porque a fatia de mercado Linux para placas de som não valha a pena.
Esta entrada foi publicada em etc. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

2 respostas a Ubuntustudio x86_64 e driver X-Fi

  1. Milton disse:

    Fiz um download de imagem (iso) do versão 7.10 e no comentário que existe no site do ubuntustudio é solicitado que se grave a imagem em um DVD, pois o tamanho desta imagem é 800MB. Quando coloquei o DVD para criar o disco de instalação, no Nero Express, ele solicitou um CD-R/RW.
    Achei muito estranho pelo tamanho da imagem e quando coloquei o CD (700MB) ele enviou uma mensagem que o disco não tinha a capacidade necessária.

    Coloquei um (vários) DVD e ele enviou uma mensagem de que o disco não era compativel com a imagem criada.

    Criei os CDs de instalação do Ubuntu e Kubuntu 7.10 com imagem ISO e funcionou perfeitamente.

    Em resumo não sei como criar o disco de instalação do ubuntustudio 7.10. Vocês poderiam me ajudar?

  2. joao disse:

    Isso parece ser um problema com o Nero. Tente o http://infrarecorder.sourceforge.net/ ou CDClone, conforme sugerido nesta thread: http://ubuntuforums.org/archive/index.php/t-446990.html

Deixe uma resposta