Reunião do AI-5

O site do Estadão publicou ontem um registro importante do regime militar: a gravação completa da reunião que confirmou o Ato Institucional Número 5, de 1968. Aberta pelo então presidente Costa e Silva, a reunião contém os posicionamentos de membros do governo da época, como Pedro Aleixo, vice-presidente e único voto contrário ao Ato. Entre outros, falam Jarbas Passarinho, ministro do Trabalho, Delfim Neto, ministro da Fazenda, Lira Tavares, ministro do Exército, Augusto Rademaker, ministro da Marinha e Emílio Garrastazu Médici, chefe do SNI.

Apesar de juridicamente condenável, conforme exposto pelo vice-presidente, o Ato é julgado como necessário pelos outros participantes da reunião. E assim nasceu o AI-5, instrumento para conter a subversão e manter a ordem, dado o contexto político nacional e mundial.

A transcrição desta reunião é pública e pode ser lida neste site.

No momento, acho que cabe a leitura do artigo “A verdade incomoda”, de Jarbas Passarinho, publicado no Estadão em 9 de abril de 2002, e transcrito neste site.

Esta entrada foi publicada em etc. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta